Saudade é o corpo ardente que sente calafrios por quem não veio, e que permanece vazio ao mesmo tempo em que cheio...

Paulo Cesar Coelho

A mulher é a poesia que todo poeta sonha fazer.

Textos


BALA PERDIDA


BALA PERDIDA!
Por Paulo César Coelho

Ao correr meus olhos
Por aquele quarto gelado
Lembrei-me de um tempo
Em que éramos felizes!

Restam-me hoje, apenas muitas saudades
E uma vontade infinita de sentir de novo
O calor do seu corpo no meu abraço.
Bendito sois vós em minha vida!

Vejo-te ainda rebento
Eu, chorando de tanta alegria
Na magia do seu nascimento.

Bem diferente de um tempo recente - Bala perdida!
Onde a cena manchada de sangue
Que por assim agora, invade meu pensamento…

Vejo-te tão jovem, menino ainda, dilacerado o ventre
Indo embora assustado no choro de meu lamento
Em tê-lo perdido para todo o sempre...


A violência em nosso país saiu do controle das autoridades públicas, convive lado a lado com os três poderes da República. Aos brasileiros só cabem se lamentarem, ou lutar exigindo o nosso direito à cidadania. Lutar! Não com armas, porque os tempos não permitem, mas lutar com a arma da inteligência, com o gatilho do voto, retirando dos cargos públicos, os algozes de nossa democracia.

Dedico este texto a todos os Pais que perderam seus filhos e que hoje, vivem aprisionados na inconsequência de uma bala perdida.
 
paulo cesar coelho
Enviado por paulo cesar coelho em 02/06/2018
Alterado em 02/06/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Todos os textos estão protegidos por Lei. Caso precise usá-los, para fins didáticos educativos, por favor, faça contato: paulopoetacoelho@bol.com.br Sites: www.pcoelho.prosaeverso.net www.luso-poemas.net/modules/news/index.php?uid=1012